Home Bem-estar Alimentação Azeite de oliva: Dúvidas, Benefícios e Receitas

Azeite de oliva: Dúvidas, Benefícios e Receitas

12 min de leitura
0
0

Nutricionista dá dicas de como escolher, quais são as melhores formas de inserir o azeite de oliva na alimentação e os benefícios do consumo além de ensinar receitas: molho pesto, azeite aromatizado e manteiga de azeite

Se existe um ingrediente que sempre está presente na cozinha, é o azeite de oliva! Prático e versátil, esse óleo é um dos itens mais utilizados na hora de agregar aroma e sabor nas mais variadas receitas.

Para quem tem dúvidas sobre qual azeite escolher, como acrescentar na alimentação e como esse alimento pode beneficiar a saúde, a nutricionista do Oba Hortifruti, Renata Guirau, responde aos questionamentos que mais escuta no consultório.

Ao final, a profissional também ensina receitas simples nas quais o azeite ganha todo o destaque no prato: molho presto, azeite aromático e até uma manteiga de azeite.
Confira!

1. Quais são os benefícios do consumo do azeite de oliva?
Renata: “Assim como outros tipos de óleos vegetais, o azeite é livre de colesterol ruim (LDL) e fonte de gorduras monoinsaturadas e polinsaturadas (incluindo o ômega-9).
O consumo auxilia no controle sérico de colesterol, ajuda a proteger a saúde cardiovascular e também a reduzir a inflamação do organismo”.

2. O azeite é mais saudável que outros tipos de óleo?
Renata: “Como mencionado anteriormente, o azeite é um tipo de gordura que deve fazer parte da nossa alimentação, entretanto, ele sozinho não fornece todos os ácidos graxos essenciais que precisamos. Por isso, a recomendação é incluir outros tipos de gordura na dieta, principalmente o ômega-3 dos peixes. De qualquer forma, podemos considerar que é mais saudável que outros óleos vegetais, como o de soja e o de canola”.

3. Qual a diferença entre os tipos virgem, extra virgem e refinado? Como escolher a melhor opção?
Renata: “O que difere é principalmente o teor de acidez permitido em cada tipo.
O azeite refinado pode ter acidez maior que 2%. É um produto geralmente obtido de azeitonas de qualidade inferior, sem padronização de sabor e que, por isso, precisa passar por refinamento industrial para padronização das características sensoriais.
Já o azeite virgem deve ter acidez entre 1% a 2%. Ele deve ser extraído das azeitonas sem adição de nenhum produto químico.  O azeite extra virgem é obtido dessa mesma forma, mas deve ter acidez inferior à 1%. Também vale mencionar que o extra virgem é mais sensível ao calor, quando comparado às demais variedades.

Na hora de escolher, os principais pontos a serem considerados são: o tipo de preparo (para cozinhar ou temperar) e o sabor que mais agrada. Há também quem goste de verificar a origem de produção”.

4. Qual a melhor forma de inserir o azeite na alimentação?
Renata: “A melhor maneira é usar no preparo de alimentos e no tempero de saladas. Também pode ser usado para regar carnes já prontas e massas. Outra opção, muito comum em países europeus, é regar pães com o azeite imediatamente antes do consumo. Dessa forma, conseguimos obter o sabor e aproveitar todos os benefícios do tempero”.

5. É verdade que aquecer o azeite pode ser prejudicial para a saúde?
Renata: “Aquecer o azeite à altas temperaturas pode fazer com que ele produza uma substância chamada acroleína, que é irritante ao estômago. Isso acontece quando o azeite atinge temperatura suficiente para produzir uma fumaça esbranquiçada (o que chamamos de ponto de fumaça). Se o azeite for aquecido apenas para refogar algum tempero ou for utilizado para regar alguma preparação que será assada, dificilmente chegará a essa temperatura em que ele “queima”.

Ainda assim, uma sugestão para esses preparos quentes seria usar o azeite virgem (e não o extra- virgem), que é mais resistente à temperatura.  É importante ressaltar que o azeite não é uma boa opção para o preparo de alimentos fritos sob imersão, como parmegiana, pastel e outros pratos em que o alimento é mergulhado na gordura fervendo”.

6. O azeite engorda? Podemos consumi-lo à vontade?
Renata: “O azeite engorda se for consumido em excesso, já que é uma gordura, ainda que boa. Todo alimento fonte de gordura será bastante calórico e deverá ser consumido com moderação. Não existe uma quantidade padrão indicada para cada pessoa. Pode ser consumido diariamente, desde que o suficiente para o preparo ou tempero dos alimentos. Dessa forma, não fará mal à saúde”.

Agora que você já sabe como inserir o azeite de maneira saudável na sua alimentação, confira as receitas selecionadas pela nutricionista!

 

MOLHO PESTO

2 xícaras de folhas de manjericão fresco
1/2 xícara de nozes picadas
1 xícara de queijo parmesão ralado
2 dentes de alho picados
1 1/2 xícara de azeite de oliva
Sal a gosto

Molho Pesto

Preparo:

Bata tudo no liquidificador ou mixer.
Use para temperar saladas, acompanhando pães e torradas ou massas.

 

AZEITE AROMATIZADO

100 mL de azeite de oliva extravirgem
1 dente de alho
1 ramo de alecrim
1 ramo de tomilho
1 pimenta dedo de moça fatiada

Preparo:
1) Coloque o azeite em um recipiente de vidro que possa ser bem fechado.
2) Acrescente os temperos no azeite.
3) Deixe descasando por pelo menos 5 dias antes de consumir.
Use no preparo de receitas e para temperar saladas.

 

 

“MANTEIGA” DE AZEITE

Azeite de oliva extra virgem
Manjericão à gosto (ou ervas de sua preferência)

 

Preparo:
1) Separe uma forma de gelo.
2) Cubra o fundo de cada espaço da forma de gelo com uma folha de manjericão.
3) Acrescente o azeite, colocando mais uma folha no meio de cada espaço.
4) Leve ao freezer e consuma em até 30 dias.
Use em pães e torradas ou no preparo de receitas.

 

SOBRE O OBA HORTIFRUTI
A rede é referência em qualidade e variedade de produtos, e oferece diariamente um atendimento mais próximo, que prioriza o relacionamento com o cliente, garantindo o equilíbrio perfeito entre sabor e saúde para a vida das pessoas. Acredita que reunir a família e os amigos ao redor da mesa é um momento gostoso e saudável. Referência em saudabilidade e prazer em comer bem, O Oba é fonte para quem deseja manter uma boa alimentação.

A rede também foi premiada duas vezes pela Folha de S. Paulo como a marca mais lembrada pelos brasileiros na categoria hortifruti. A pesquisa, chamada Top of Mind, é realizada todo ano pelo Datafolha, em mais de 170 cidades brasileiras.

Atualmente, a marca possui mais de 50 lojas espalhadas pelos Estados de São Paulo, Goiás e Distrito Federal. Com 40 anos de história, a rede expandiu sua atuação no mercado com setores de frios e laticínios, açougue, adega, mercearia, importação própria, pré lavados, lanchonete, floricultura, padaria e restaurante, que complementam o setor de hortifruti.


Recomendados

livros recomendados - lista amazon

Comentário(s)

Carregar mais posts relacionados
Carregar mais em Alimentação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja Também

Benefícios e receitas do caqui, a fruta do outono

Por que você deve incluir o caqui na rotina? Sorbet, mousse, salada e molho para massas fe…