Home Bem-estar Por que o couro cabeludo coça?

Por que o couro cabeludo coça?

11 min de leitura
0
0
woman in white long-sleeved shirt standing in front of pink wall

Presidente da Sociedade Brasileira de Tricologia explica os motivos: Dermatites, pediculose, estresse… a causa da coceira no couro cabeludo pode ser variada e multifatorial

Se o couro cabeludo de uma pessoa coça, existe algum problema. De leve a intenso, o prurido (coceira) pode ter causas variadas e até multifatoriais, conforme explica o Dr. Luciano Barsanti, presidente da Sociedade Brasileira de Tricologia e Diretor Médico do Instituto do Cabelo (www.institutodocabelo.com.br).

As principais causas da coceira do couro cabeludo, segundo o especialista, são:

  • Pediculose – especialmente vista em crianças, a pediculose é a presença de parasitas na cabeça, as lêndeas e piolhos. Existem medicamentos específicos para o problema, à venda na farmácia, mas é interessante que os pais consultem um médico e tricologista antes de medicar os pequenos, porque pode existir alguma reação alérgica ou interação com outros medicamentos que a criança faça uso.
  •   Dermatite seborreica – É uma inflamação no couro cabeludo, que se manifesta pela presença de caspa. A dermatite seborreica causa coceira e tem tratamento – que é adotado conforme o perfil do paciente e intensidade do problema. Pode incluir desde shampoos e medicamentos de uso tópico até medicamentos por via oral.
  •  Dermatite química – É aquela causada a partir de um procedimento químico realizado nos cabelos, como um alisamento, descoloração ou até tintura. Dependendo da extensão do problema e do dano, a coceira será tratada com medicamentos específicos.
  •  Estresse – O estresse pode causar coceira frequente e intensa no couro cabeludo. Além de ser necessário realizar um tratamento na raiz do problema – a causa do estresse –, é possível adotar shampoos e medicamentos de uso tópico para o alívio dos sintomas. Mas, o problema só melhora ou desaparece quando o paciente muda de estilo de vida e consegue amenizar o estresse sofrido no cotidiano.
  • Alterações na glândula tireoide – Quem tem problemas na tireoide pode apresentar ressecamento do couro cabeludo, coceira e descamação. Essas pessoas devem realizar, simultaneamente, o tratamento da tireoide, com endocrinologista, e do couro cabeludo, com médico e tricologista.

 

O Dr. Luciano Barsanti alerta: antes de se adotar um tratamento, é fundamental que o paciente passe por um diagnóstico correto.

“Não adianta utilizar um shampoo para alívio da coceira se seu caso for relacionado ao funcionamento da tireoide, por exemplo, porque ele não terá fim. Para cada caso, deve haver um diagnóstico e tratamento adequados”, ensina o especialista.

No perfil de Dr. Luciano Barsanti no Instagram (@drlucianobarsanti), há dicas diárias para o cuidado com os cabelos.

 

Sobre o Instituto do Cabelo

Dr. Luciano Barsanti

O Instituto do Cabelo é uma clínica médica, registrada no CRM sob o número 38045, especializada no tratamento capilar de homens, mulheres e crianças.

À frente dos trabalhos estão o Dr. Luciano Barsanti e a Dra. Marcia Cecilio.

O currículo do Dr. Luciano Barsanti dispensa quaisquer outras apresentações. Médico e Tricologista, ele é Presidente da Sociedade Brasileira de Tricologia “SBTri”, membro titular do American Hair Loss Council – USA e da Sociedade Italiana de Tricologia, além de membro da Sociedade Brasileira de Laser em Medicina e Cirurgia. É Diretor Médico do Instituto do Cabelo.

Junto a ele está a Dra. Marcia Cecilio, Diretora Científica do Instituto do Cabelo. Médica e Tricologista, ela é membro titular do American Hair Loss Council – USA, membro da Sociedade Brasileira de Laser em Medicina e Cirurgia, e membro da Sociedade Brasileira de Tricologia “SBTri”.

O protocolo médico do Instituto do Cabelo utiliza métodos não-invasivos para diagnóstico do problema capilar e seu melhor tratamento. Isso significa que a recuperação da saúde dos cabelos se faz sem injeções no couro cabeludo (mesoterapia), cirurgias, técnicas artificiais de entrelaçamento ou próteses.

No tratamento não-invasivo, são utilizados equipamentos para eletroestimulação do bulbo do cabelo e desobstrução do óstio (orifício) capilar.

 

Métodos avançados de diagnóstico: Para a detecção dos problemas capilares envolvidos, o paciente é submetido à consulta médica e ao exame tricológico, por meio de scanner do couro cabeludo, e à microscopia da raiz capilar (bulbo). A partir desse diagnóstico, o paciente é encaminhado ao tratamento.

Tratamento: No tratamento não-invasivo, são utilizados equipamentos pra eletroestimulação do bulbo do cabelo e desobstrução do óstio (orifício) capilar. O Instituto do cabelo utiliza tecnologia de laser de baixo comprimento de onda para a recuperação capilar.

O FDA Americano avaliza o laser de baixa penetração como uma das tecnologias para o tratamento de recuperação capilar. A técnica chama-se LLLT (Low Level Laser Therapy), também conhecida como laser frio. Estudos científicos internacionais demonstraram o aumento da multiplicação celular da raiz do cabelo, aumentando a velocidade de crescimento dos fios e melhorando a densidade capilar, a partir desse tratamento.

Outras terapias auxiliares são adotadas para que o tratamento se potencialize, já que os pacientes podem necessitar de atendimento multidisciplinar que, apenas a partir de uma consulta médica, serão indicados.

O Instituto do cabelo oferece atendimento específico para a recuperação capilar após a gravidez, bem como para os mais variados casos de alopecia.

Todo o tratamento é acompanhado e supervisionado por um médico e tricologista.

 

Carregar mais posts relacionados
Carregar mais em Bem-estar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Veja Também

Queda capilar na quimioterapia e seus cuidados

Dr Ademir Carvalho Leite Júnior, médico e tricologista, explica as implica&c…