Home Bem-estar Pesquisadora da UNIFRAN desenvolve cartilha sobre uso do Óleo de Copaíba para fins medicinais

Pesquisadora da UNIFRAN desenvolve cartilha sobre uso do Óleo de Copaíba para fins medicinais

12 min de leitura
0
0

Especialista avalia as propriedades biológicas da oleorresina de 9 espécies de árvores;

A egressa do Programa de Pós-Graduação em Promoção de Saúde da Universidade de Franca (UNIFRAN), instituição que pertence a Cruzeiro do Sul Educacional, Mariana Brentini Santiago, desenvolveu durante seu mestrado uma cartilha sobre os tipos e finalidades do Óleo de Copaíba (Copaifera spp.) para fins medicinais. O material explica quais os benefícios da oleorresina extraída de cada tronco a partir de nove espécies de árvores analisadas.

A Copaifera spp. é também popularmente reconhecida por outros nomes, como: bálsamo, bálsamo-de-copaíba, copaíba, copaíba-da-várzea, copaíba-vermelha, copaibeira- -de-minas, cupiúva, oleiro, óleo-de-copaíba, óleo-vermelho, pau-de-óleo e podoi. Na base de dados Trópicos, atualmente existem 96 espécies de copaíba registradas no mundo, e no Brasil, há 32 espécies distribuídas de Norte a Sul, as quais são encontradas principalmente pelas regiões Amazônica, Centro-oeste e Sudeste.

Segundo a pesquisadora, as propriedades biológicas relacionadas às árvores de copaíba estão em grande maioria associadas ao uso de material balsâmico (oleorresina), que funciona como defesa contra animais, fungos e bactérias. A oleorresina das copaíbas, explica Mariana, é utilizada na medicina popular via administração oral, com aplicações tópicas in natura, ou como as pomadas.

“Os seres humanos, desde o início da civilização, encontraram na natureza a solução para suas doenças e problemas gerais com a saúde. Essa cartilha tem caráter informativo e educativo em relação à copaíba, e foi produzida com o intuito de empoderar e alertar os indivíduos em relação às propriedades biológicas da oleorresina para fins medicinais, seguindo os princípios da promoção da saúde”, analisa.

Mariana frisa, que o uso da copaíba, por exemplo, não é recomendado durante a gravidez e lactação, e em pessoas com problemas gástricos, e que o uso em excesso provoca vômitos, náuseas ou diarreia com cólicas.

A cartilha, elaborada durante o mestrado da egressa que foi bolsista da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior – Brasil (CAPES), foi avaliada por uma banca na Universidade Federal de Uberlândia (UFU), sendo ainda revisada pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), de Pernambuco. Além disso, contou com a orientação da Profa. Dra. Raquel Alves dos Santos (UNIFRAN) e do Prof. Dr. Carlos Henrique Gomes Martins (UFU).

Todas as espécies protegem contra parasitas e vermes, mas apresentam variações. Confira as nove árvores analisadas:

  • Copaifera reticulata: proteção contra bactérias, picada de insetos, ácaros, parasitas e vermes; proteção das células do cérebro; contra úlceras; combate inflamações; contra ansiedade; alivia a dor em ferimentos; protege as células do estômago; alivia a tosse e trata corrimento vaginal;
  • Copaifera multijuga: proteção contra picadas de insetos; combate inflamações; proteção contra parasitas e vermes; proteção contra bactérias; alivia a dor em ferimentos; ajuda na cicatrização; protege as células do estômago; proteção contra vírus; diminui a febre e combate enxaqueca;
  • Copaifera langsdorffii: combate inflamações; proteção contra bactérias; proteção contra fungos; proteção contra parasitas e vermes; combate doenças de pele; ajuda na cicatrização e protege as células do estômago;
  • Copaifera duckei: combate inflamações; alivia a dor em ferimentos e proteção contra parasitas e vermes;
  • Copaifera coriácea: proteção contra parasitas e vermes; proteção contra bactérias; ajuda na cicatrização e protege as mucosas do estômago;
  • Copaifera officinalis: proteção contra parasitas e vermes; proteção contra bactérias e combate inflamações;
  • Copaifera cearenses: combate inflamações; proteção contra parasitas e vermes e proteção contra bactérias;
  • Copaifera paupera: proteção contra parasitas e vermes e proteção contra bactérias;
  • Copaifera lucens: proteção contra parasitas e vermes e proteção contra bactérias.

Cartilha completa: link

Sobre a UNIFRAN – Com 50 anos de tradição em ensino superior no interior de São Paulo, a UNIFRAN recebe em seus 253 mil metros quadrados alunos, entre cursos de graduação, presenciais e a distância, especializações, mestrados e doutorados, que abrangem todas as áreas do conhecimento. A Universidade, considerada a melhor instituição particular do Brasil, segundo o Latin America University Rankings 2019, da revista inglesa Times Higher Education (THE), integra o grupo Cruzeiro do Sul Educacional, um dos mais representativos do País, que reúne instituições academicamente relevantes e marcas reconhecidas em seus respectivos mercados, como Universidade Cruzeiro do Sul e Universidade Cidade de São Paulo – Unicid (São Paulo/SP), Universidade de Franca – Unifran (Franca/SP), Centro Universitário do Distrito Federal – UDF (Brasília/DF, Centro Universitário Nossa Senhora do Patrocínio – Ceunsp (Itu e Salto/SP), Faculdade São Sebastião – FASS (São Sebastião/SP), Centro Universitário Módulo (Caraguatatuba/SP), Faculdade Cesuca (Cachoeirinha/RS), Centro Universitário da Serra Gaúcha – FSG (Bento Gonçalves e Caxias do Sul/RS), Centro Universitário de João Pessoa – Unipê (João Pessoa/PB), Centro Universitário Braz Cubas (Mogi das Cruzes/SP) e Universidade Positivo (Curitiba e Londrina /PR), além de colégios de educação básica e ensino técnico. Visite: www.unifran.edu.br

Carregar mais posts relacionados
Carregar mais em Bem-estar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Veja Também

3 óleos essenciais para ajudar na ansiedade

Especialista dá dicas de como usar esses produtos a favor da saúde e bem-est…