Home Bem-estar Saúde Como identificar um AVC

Como identificar um AVC

5 min de leitura
0
0

Quanto antes iniciado o tratamento menor são as chances de sequelas mais graves

O AVC (acidente vascular cerebral) acontece quando os vasos responsáveis por levar o sangue até o cérebro entopem ou se rompem, causando assim morte dos neurônios da área cerebral que ficou sem a circulação sanguínea. Por esse motivo, quanto antes identificado e iniciado o tratamento, menores são as chances de danos mais graves ao paciente.

E como fazer isso? Ficando atento aos sinais. “Os sintomas do AVC podem aparecer dias antes, por isso devemos estar atentos e buscar ajuda médica o quanto antes”, enfatiza Mariana Peres de Carvalho, coordenadora da equipe de fisioterapia do Núcleo Paraense de Recuperação Motora Cognitiva e Comportamental (NUPA).

Para identificar os sinais do AVC você pode usar a técnica conhecida como “SAMU”: sorriso, abraço, mensagem, urgente.

Sorriso – durante o AVC a boca fica torta, peça para que a pessoa tente dar um sorriso.
Abraço – nesse momento fica difícil para a pessoa levantar os dois braços ao mesmo tempo. Peça para que ela tente te abraçar.
Mensagem – quem está tento um AVC começa apresentar dificuldades de fala, peça para a pessoa cantar. Você vai perceber a fala embolada.
Se você perceber um desses sinais, chame o SAMU da sua cidade urgente (ligue para 192)

Outros sintomas ainda podem ser: dificuldade de caminhar ou ficar em pé; formigamento e falta de força em um lado do corpo; problema de memória recente e passada; e dor de cabeça intensa com vertigem. O tratamento precoce com medicamentos, como TPA (anticoagulante), pode minimizar danos cerebrais.

“O quanto antes a pessoa for socorrida e iniciar o tratamento com o especialista neurofuncional, melhores serão os resultados e menores as sequelas”, finaliza Vanessa.

 

Sobre o Núcleo Paraense de Recuperação Motora Cognitiva e Comportamental (NUPA)

A clínica é referência no atendimento a pacientes com danos neurológicos e possui equipe especializada em diversas áreas, como: Fisioterapia, Fonoaudiologia, Musicoterapia, Neuromodulação e Terapia Ocupacional. O do NUPA está nos métodos de tratamento avançados, como Theratogs, PediaSuit, Bobath, Integração Sensorial, Contensão Induzida, ABA e DENVER. Para mais informações, acesse as redes sociais Facebook @nupa.belem  e Instagram @nupa.belem

Carregar mais posts relacionados
Carregar mais em Saúde

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja Também

Paralisia Cerebral: o que é, características e tratamentos

Uma das deficiências mais comuns na infância ela tem tratamento e melhora na q…