Home Bem-estar Fitness Core: confira a importância de fortalecer a região e saiba como conquistar um abdômen definido

Core: confira a importância de fortalecer a região e saiba como conquistar um abdômen definido

10 min de leitura
0
0

Exercícios de Pilates associados a uma boa alimentação são excelentes aliados nesta jornada

Abdômen com tônus muscular aparente é o sonho de consumo de muitos homens e mulheres. Os tão desejados “gominhos” são apenas um detalhe, o que realmente importa e é essencial para todos é fortalecer a região para evitar problemas nas costas, desalinhamento da postura e proteger a coluna.

O core é um conjunto de 29 músculos que são responsáveis por estabilizar e sustentar o tronco e proteger os órgãos internos. Essa região enfraquecida gera uma sobrecarga na coluna vertebral, ocasionando dor, desconforto e até lesões.

Os principais músculos do abdômen são: o reto abdominal, oblíquos internos e externos e transversos.

“O responsável pelo destaque da barriga marcada é o reto abdominal (não influencia na estabilização da região), ao realizar uma flexão de tronco, é ele que usamos para tirar os ombros do solo quando estamos deitados. A estabilização e os movimentos como rotação, são de responsabilidade dos oblíquos e transversos, sem esquecer dos multífidus, que não são abdominais, mas são os principais estabilizadores da coluna”, comenta Carla Banietti, educadora física e consultora fitness da MetaLife, fabricante de equipamentos de Pilates.

Uma musculatura abdominal forte, melhora a postura, o equilíbrio, o movimento preciso, e previne hérnias discais, hérnias umbilicais, diástase (separação da parede abdominal), ptose visceral (relaxamento da sustentação das vísceras), entre outras doenças. Para pessoas que já têm alguma degeneração na coluna vertebral é obrigatório trabalhar muito esses músculos, para tentar reverter e até solucionar alguns casos.

Exercícios que trabalham a força de centro, ou core, desde elevações das pernas, flexões laterais e frontais de tronco, flexões de quadril até exercício abdominal sem movimento, como as pranchas. Esse último é indicado para pessoas com pouca ou impossibilidade de mobilidade. As pranchas são muito eficientes e trabalham de forma muito intensa o core.

“Para reduzir gordura da região core, é necessário cuidar de um conjunto de fatores. Dois pontos principais: evitar o excesso de carboidratos simples (como alimentos ricos em farinha e açúcar; não é necessário abolir, mas controlar) e cuidar da hidratação para melhorar retenção de líquidos, elasticidade da pele e ajudar a manter o intestino funcionando bem. Esse é outro ponto importante: a saúde intestinal.

Alterações como constipação intestinal ou mesmo a mudança da consistência das fezes, excesso de formação de gases e distensão abdominal podem contribuir para o aumento da circunferência abdominal. É importante investigar as causas, que podem estar relacionadas ao que come (problemas de intolerância a algum grupo de carboidratos ou excesso de consumo de proteína, por exemplo) e como come (qualidade da mastigação, por exemplo).

Tudo deve ser feito de maneira consciente e individualizada. Para conquistar um corpo definido, de maneira geral é necessário unir atividade física e dieta. Não existe uma fórmula mágica”, orienta Daniela Lasman, nutricionista na Bodytech Iguatemi SP.

Carla Banietti explica como realizar prancha com flexão dos joelhos no reformer. Veja:

Prancha no reformer

Este slideshow necessita de JavaScript.

Usando uma mola vermelha, para os mais preparados, ou apenas uma mola azul, mantenha-se em decúbito ventral, com apoio do tronco, os cotovelos flexionados e alinhados com os ombros, e dos membros inferiores, com os pés na barra de pés, na segunda posição da trava. Flexione os joelhos e estenda, mantendo uma linha só entre a cabeça e os pés. Faça três séries de 12 repetições. Não posicione a cabeça olhando para frente, elevando o queixo, mas sim para a linha das mãos. O quadril também não pode subir, nem fazer báscula posterior, deve ficar em 180° e em posição neutra.
Lembrando sempre que, nesse caso, quanto menor assistência das molas, mais difícil e intenso será o exercício.

Dica da especialista: é comum realizar um movimento de tronco curtinho durante a realização do reto abdominal, com o passar do tempo, não sentimos mais o trabalho, então, é importante dar maior amplitude ao movimento.

Exercício 2 

Com a caixa em cima do reformer, ajustada, sempre respeitando o comprimento das pernas, a barra de pés na 4ª posição, coloque todas as molas, sente-se sobre a caixa e apoie os pés na barra de pés, mantendo os joelhos sempre flexionados. Estenda o tronco para trás, até ficar numa posição negativa em relação ao quadril e retorne à posição inicial. O exercício fica mais forte elevando os braços para cima da cabeça, médio, se abraçamos o tronco, e mais “suave”, se estendemos os braços à frente. Faça 3 séries de 12 repetições.

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

Exercício 3

Aproveite a caixa e as molas posicionadas, fique de lado, apoie a lateral do quadril, fixe os pés na barra de pés, use o bastão para direcionar o exercício, inicie o exercício em prancha lateral, com a coluna e o quadril bem estendidos e flexionando o tronco lateralmente e voltando à posição inicial. Repita 12 vezes e troque o lado. Faça 3 séries.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Ao realizar esses exercícios pelo menos duas vezes na semana, notará, em cinco ou seis semanas, uma sensível diferença, tanto no músculo abdominal mais firme, quanto uma postura melhor e um alívio nas dores das costas.

 


Recomendados

livros recomendados - lista amazon

Comentário(s)

Carregar mais posts relacionados
Carregar mais em Fitness

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja Também

Pilates: Treino ideal para voltar a rotina pós quarentena

O Pilates segue ganhando novos adeptos e tem se mostrado atividade importante para a retom…