Home Bem-estar Saúde Abdominoplastia pós bariátrica

Abdominoplastia pós bariátrica

16 min de leitura
0
0

A abdominoplastia pode complementar os resultado da bariátrica. Confira.

 

O ganho de peso é uma condição que afeta muitas mulheres e muitos fatores contribuem para isso. Alguns exemplos disso são: a má alimentação, idade, sedentarismo, medicamentos, estresse e fatores genéticos.

Além da obesidade provocar uma série de patologias, como diabetes e aterosclerose, muitas vezes essa condição afeta a vida social do indivíduo, que tem a autoestima diminuída pelo excesso de peso. Muitas mulheres têm vergonha de vestir uma roupa mais justa ou biquíni na praia.

Mesmo seguindo uma dieta equilibrada e com a prática de exercícios físicos regulares, muitas pessoas têm dificuldades em perder peso e não alcançam o resultado desejado.

Por este motivo, os pacientes procuram fazer cirurgias plásticas para chegar ao resultado que sempre sonharam. Algumas pessoas optam por fazer a cirurgia bariátrica, que é um procedimento que reduz o estômago e consequentemente, promove a redução de peso.

Entretanto, em alguns casos, o paciente acaba com muito excesso de pele, o que pode desanimar muitas mulheres. Porém, esse processo tem como ser revertido por meio de outras técnicas, como a abdominoplastia.

Ficou curioso para saber mais sobre esse procedimento que vai recuperar a sua beleza? Leia o nosso artigo e saiba tudo dessa cirurgia plástica!

 

O que é a cirurgia bariátrica?

Para compreender o que é a abdominoplastia e como ela auxilia a cirurgia pós-bariátrica, é necessário entender a cirurgia bariátrica e como é o seu processo.

Ela é uma cirurgia de tratamento da obesidade por meio da diminuição do estômago. Esse processo é indicado quando as atividades e exercícios físicos não conseguem diminuir o peso. Entre as várias técnicas de bariátrica, estão o método bypass e sleeve.

No bypass gástrico é realizado um corte na região do estômago e do esôfago, e separando as duas partes. Então é feito uma bolsa gástrica nessa região, que funcionará como um “novo estômago”. O resultado estético dessa cirurgia é muito satisfatório e pode alcançar uma redução de até 70% do peso inicial.

Já no sleeve gástrico, o estômago do paciente é grampeado formando um tubo, para reduzir o seu volume. Um estômago normal pode ter até 2.000 mL de capacidade. Entretanto, um estômago após o sleeve, o volume pode chegar a apenas 200 mL.

O processo gera bons resultados e pode melhorar a qualidade de vida e a imagem da pessoa. Entretanto, em alguns casos, em casos onde a pessoa tinha muito excesso de peso, o volume de pele flácida sobressalente também é grande, então é preciso fazer uma cirurgia plástica para remover esse excesso de pele.

 

Abdominoplastia pós bariátrica

A abdominoplastia é uma cirurgia plástica que remove o excesso de pele do corpo. Na maioria das vezes, ela é realizada por pessoas que tiveram múltiplas gestações, que passaram por oscilações de peso ou pela cirurgia bariátrica, e estão procurando renovar a sua aparência.

Esse procedimento é realizado sob anestesia geral (ou peridural) com sedação. São realizadas incisões na região do abdome, onde o médico determinou o excesso de pele. Em seguida, o médico remove o tecido de pele e parte da gordura superficial da região. Então, para corrigir a diástase dos músculos, o cirurgião sutura essa região muscular do abdome, deixando-os mais firmes.

Para finalizar o procedimento, o médico irá fazer uma pequena incisão para formar o umbigo e suturar a pele do paciente, formando uma cicatriz comprida que se estende pela cintura.

O paciente deve seguir em repouso as orientações médicas até ser liberado para executar as tarefas diárias. Algumas recomendações devem ser seguidas para auxiliar o processo.

Por um período mínimo de 35 dias, é obrigatório o uso de uma malha compressora. Não deve ser realizado nenhum exercício físico ou atividade de esforço durante os primeiros 15 dias (ou até a liberação médica) após a operação.

O paciente não deve se expor ao sol. Por isso, é necessário que use protetor solar acima do fator 30 e utilize roupas que cubra a cicatriz para que ela não seja atingida pelos efeitos dos raios solares.

Geralmente a cicatriz fica acima da região pubiana, que é facilmente disfarçada pela roupa íntima ou biquíni.

O resultado final da cirurgia, é um abdome modelado e possivelmente plano. O excesso de pele é eliminado deixando o corpo acinturado.

 

Recomendações após a cirurgia

Ao realizar a operação é preciso manter o repouso por três semanas, sem esquecer de utilizar a cinta modeladora. A cinta serve para proteger a barriga e evitar o acúmulo de líquido na região. Ela também auxilia na compressão do abdome o que evita a propensão de seromas e inchaços.

Atividades físicas leves na academia podem ser retomadas após 2 meses de cirurgia. Já as mais pesadas como ciclismo, natação e musculação, são liberados 3 meses após a cirurgia, quando já não há nenhum risco de a incisão abrir durante o esforço.

É ideal manter uma alimentação balanceada, sem excesso de alimentos ricos em gordura e carboidratos. É indicado uma alimentação leve, como ovo ou grelhados. Procure comer frutas e tome bastante água. Evite legumes para diminuir a prisão de ventre, que pode causar dor abdominal.

 

Riscos da abdominoplastia

Assim como toda operação, essa cirurgia plástica também envolve alguns riscos. Para diminuir a chance de ocorrer problemas, é necessário procurar um médico especialista, apto em realizar este procedimento. Ele vai indicar quais cuidados e exames realizar, como: hemograma completo, exame de urina, ultrassom, entre outros.

Em casos de problemas de cicatrização, necrose ou queloide, o médico poderá indicar alguns medicamentos. Por isso é importante seguir todas as orientações do seu médico, a fim de minimizar esses problemas.

 

Contraindicação

Mulheres que desejam engravidar, são orientadas a ter as suas gestações antes da cirurgia e fazê-la quando não se tem mais a intenção de engravidar. Como é retirado o excesso de pele, a aparência da pele pode ficar comprometida e o abdome não suporta grandes distensões, gerando grandes estrias.

Em caso de cirurgias anteriores e cicatrização hipertrófica, o resultado não deve ficar como o esperado. Por isso, pacientes nessas condições devem ter isso em mente. Pacientes tabagista são considerados pacientes de risco e devem se abster do fumo por pelo menos um mês antes e após a sua realização.

Para quem não tem excesso de pele, esse processo não é o mais indicado, nesses casos a lipoaspiração pode resolver o problema.

 

Esclareceu todas as suas dúvidas? Não deixe de compartilhar com aquela amiga que fez bariátrica e está pensando em fazer as reparadoras.


Recomendados

livros recomendados - lista amazon

Comentário(s)

  • O que você precisa saber sobre redução de mama

    Enquanto algumas mulheres querem aumentar e turbinar as mamas, muitas outras sonham em dim…
Carregar mais posts relacionados
Carregar mais em Saúde

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja Também

O que você precisa saber sobre redução de mama

Enquanto algumas mulheres querem aumentar e turbinar as mamas, muitas outras sonham em dim…