Home Bem-estar Saúde Saiba Como a Osteopatia Contribui no Tratamento Pós-Covid

Saiba Como a Osteopatia Contribui no Tratamento Pós-Covid

15 min de leitura
0
0
Osteopatia: uma grande aliada na recuperação de pacientes que tiveram COVID-19

Osteopatia: uma grande aliada na recuperação de pacientes que tiveram COVID-19

Completamos recentemente um ano de pandemia com a chegada do novo coronavírus, sendo inevitável que muitas pessoas tenham sido infectadas por este vírus que causa diversas disfunções no sistema imunológico, resultando em sintomas físicos leves, moderados e graves.

Apesar de ainda não ser uma doença cujos efeitos sobre o corpo são completamente conhecidos pela ciência e a cada dia novos sintomas acometerem os indivíduos, grande parte dos que testam positivo se recuperam e podem voltar a viver sem efeitos colaterais duradouros.

No entanto, há também uma grande parcela dos contaminados, que convivem ainda um período considerável com os efeitos colaterais do vírus. É neste caso que a Osteopatia pode ajudar, melhorando a qualidade de vida destas pessoas e reduzindo estes efeitos.

Mas afinal, o que é a Osteopatia?

A Osteopatia é um sistema de tratamento que ajuda a aliviar, corrigir disfunções e recuperar lesões musculoesqueléticas e alterações orgânicas em geral. Trata-se de uma abordagem com metodologia própria, desenvolvida nos Estados Unidos, pelo Dr. Andrew Taylor Still, em 1874, com diagnóstico e tratamento baseado na anatomia, fisiologia e patologia do corpo humano.

Uma filosofia própria que por meio de técnicas manipulativas, contribui diretamente e indiretamente no tratamento e prevenção de diversas doenças, como o caso do novo Coronavírus.

Em outras palavras, a Osteopatia é um método de tratamento que utiliza recursos manuais para reorganizar o corpo e aliviar as dores. O atendimento osteopático é direcionado para a origem do problema, com o objetivo de promover a autocura do corpo humano. Seja como parte da equipe de atendimento nas unidades de terapia intensiva ou trabalhando na recuperação do paciente pós-internação, o Fisioterapeuta Osteopata (especialista habilitado no Brasil) é um profissional importante na recuperação dos pacientes acometidos pela Covid-19.

O profissional especializado em Osteopatia pode contribuir para evitar complicações cardiorrespiratórias em indivíduos internados, recuperar a capacidade pulmonar e motora de quem já se curou do vírus e amenizar sequelas causadas pela doença. Como cada ser humano é único e a doença é relativamente nova, o ideal é que o paciente procure o fisioterapeuta osteopata para que ele faça uma avaliação e entenda quais serão os principais objetivos do tratamento.

Dentre os principais sintomas e/ou sequelas relatados da doença, destacamos aqui alguns deles mais frequentes e como a Osteopatia pode contribuir de maneira efetiva:

  • Fraqueza Muscular:

Através do tratamento osteopático, é possível aumentar a massa muscular perdida durante o período de repouso prolongado, além de melhorar a força e a resistência da musculatura global. O profissional irá fazer avaliações físicas e entender a relação entre os sintomas apresentados para sugerir o programa de reabilitação mais adequado.

  • Dificuldade para Respirar:

A falta de ar é um dos sintomas mais frequentes da Covid-19 e que demora a passar. O fisioterapeuta pode trabalhar com manipulações respiratórias e utilizar técnicas manuais com o objetivo de melhorar a capacidade pulmonar e expansibilidade, permitindo que o ar entre com mais facilidade nos pulmões, melhorando a oxigenação e reduzindo o sintoma.

  • Fadiga:

Manipulações aeróbicas, feitas de maneira gradual, ajudam a melhorar a fadiga e o cansaço, aumentando a resistência cardiopulmonar. O profissional irá orientar sobre as atividades mais adequadas para cada caso de quadro clínico.

  • Dores Crônicas:

Depois de tanto tempo lutando contra o vírus, é normal que o corpo saia do seu equilíbrio natural, o que pode causar dores. Neste ponto, o tratamento osteopático tem a capacidade de liberar substâncias analgésicas naturais, diminuindo os níveis de dor, além de técnicas específicas que podem ajudar a tratar estruturas viscerais em desequilíbrio que geram os sintomas.

  • Déficits Cognitivos:

A Covid-19 afeta as pessoas de forma diferente. Enquanto algumas apresentam sintomas leves a moderados da doença e não precisam ser hospitalizadas, outras podem sofrer com as complicações e ficar com sequelas mais severas, como os déficits neuro cognitivos. Nesses casos, o fisioterapeuta pode incluir exercícios que exijam raciocínio lógico e dupla tarefa estimulando a cognição, melhorando a atenção, percepção, imaginação e memória.

Com o tratamento osteopático, é possível reduzir e eliminar os efeitos da doença e garantir a retomada de uma vida com muito mais qualidade aos pacientes.

A Escuela de Osteopatía de Madrid (EOM Brasil), uma das maiores redes de formação em Osteopatia do mundo, tem como missão formar profissionais altamente capacitados e preparados para oferecer o melhor atendimento à população. A instituição é composta por fisioterapeutas que desejam aprimorar seus conhecimentos e habilidades para trabalhar na melhoria da qualidade de vida das pessoas. Assim, a EOM Brasil forma uma grande família que se propõe a disseminar uma ‘’corrente do bem’’, principal pilar e filosofia da Osteopatia!

Sobre a EOM Brasil

A Escuela de Osteopatía de Madrid (EOM Brasil) é um grupo espanhol, potência mundial em Osteopatia presente em 20 países com 75 unidades pelo mundo, das quais 19 unidades estão distribuídas por todo território brasileiro. A rede de ensino tem o maior número de unidades, alunos, publicações científicas, número de livros editados, melhor programa de formação docente do mundo e é a única escola de Osteopatia presente no ranking internacional Scimago.

No Brasil, a Osteopatia é uma das especialidades da fisioterapia e por isso, exclusiva para profissionais graduados. Com um curso de cinco anos de duração e 500 horas de práticas clínicas supervisionadas, além das 1.168 horas teóricas e práticas de curso, a EOM Brasil oferece uma formação completa para profissionais de todo o território. Outras Informações: http://www.osteopatiamadrid.com.br

Sobre o Dr. Rogério Queiroz, Diretor e Fundador da EOM Brasil

O Dr. Rogério Augusto Queiroz é Fisioterapeuta graduado pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas e Osteopata D.O. pela Escola de Osteopatia Madrid / S.E.F.O.

Especialista em Educação pela UNICAMP, possui MBA em Gestão e Empreendedorismo pela Metrocamp/DeVry.

Diretor da Escola de Osteopatia de Madrid (Brasil) ministra aulas de Osteopatia em países da América do Sul, Europa e Ásia.

Segundo Dr. Rogério, desde que se juntou à Escuela de Osteopatía de Madrid, inspirado por seus fundadores François Ricard e Ginés Almazán, ele entendeu que a osteopatia criada pelo Dr. Andrew T. Still, vai muito além de apenas melhorar a dor de uma pessoa, ela propõe uma verdadeira revolução na forma de entender o paciente e seu corpo e, por conta disso, se apaixonou pelo projeto e pela possibilidade de poder difundir a osteopatia no Brasil!

Carregar mais posts relacionados
Carregar mais em Saúde

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Veja Também

Estudo do NIH observou que a vacina do COVID afeta o ciclo menstrual

RESUMO DA MATÉRIA Um estudo, descobriu que as pessoas que receberam vacinas do COVI…